Stalker de Taylor Swift se declara culpado e pode pegar até cinco anos de prisão

por 4 meses atrás

Um homem de 27 anos de idade que vive em Austin, no Texas, declarou que é culpado num longo processo que envolve a popstar Taylor Swift. Ele é acusado de enviar ameaças à cantora por meio de cartas e emails endereçados à Big Machine, antiga gravadora da artista.

Segundo a Billboard (em inglês), promotores federais disseram à imprensa estadunidense que as cartas começaram a ser enviadas em janeiro de 2018, quando Eric Swarbrick pediu ao CEO da gravadora que o apresentasse à Taylor.

Ao longo do tempo, as mensagens foram ficando mais incisivas e violentas. A obsessão se tornou tão grande que o homem tentou por três vezes entregar as cartas pessoalmente, e confirmou que chegou a vagar pelas redondezas dos escritórios da gravadora.

Segundo os relatórios, Eric enviou pelo menos quarenta cartas e e-mails antes de ser preso em setembro de 2018.

Ele permanecerá em prisão preventiva até março, quando será definida a sentença final pelo juiz responsável. É provável que essa fique definida em 5 anos de prisão e uma multa de duzentos e cinquenta mil dólares para cada acusação.

Além de lidar com o processo judicial, a cantora não anda com a relação muito boa entre ela e a antiga gravadora. Scooter Braun, que é acusado pela artista de cometer bullying e assédio, comprou os ativos da empresa, incluindo a discografia de Taylor até o Reputation, e se tornou dono de grande parte do catálogo dela.