Cinema e TV

Chernobyl

Chernobyl – Minissérie atrai pela trama e com um final envolvente

A minissérie Chernobyl da HBO chegou ao fim nesta sexta dia 7, conseguindo explicar o complicado e mais pavoroso incidente nuclear da história.

A história começa quando no dia 26/04/1986 na cidade de Pripyat, uma cidade da Ucrânia na antiga URSS, um reator RBMK da usina de Chernobyl explode espalhando um nível de radiação altíssimo pelo ar da cidade de Prypiat. Os gestores da usina junto com o governo procuram um meio de arrumar o erro causado sem saber ao certo qual foi este erro. Neste momento que entram em cena o fisicista Valery Legasov (Jared Harris) junto com o comandante Boris Scherbina (Stellan Skarsgard) e a outra fisicista Ulana Khomyuk (Emily Watson) que começam a dar dimensão do que está realmente acontecendo e o que fazer para impedir.

O protagonismo desses três personagens é muito importante para série porque é através deles que é feita a tradução de termos técnicos e detalhes complicados para um público que em sua maioria não tem um P.H.D. em fusão nuclear. Especialmente o personagem de Jared Harris que foi verídico e encarregado de mostrar o nível de perigo e como o governo comunista da URSS foi negligente e autoritário.

O primeiro capítulo é uma descarga de informação que vaza junto com a radiação do reator e deixa o público um pouco confuso e sem entender o que está acontecendo (mas até aí, nem os próprios cientistas sabiam), no segundo capítulo pra frente com a entrada de Harris a história fica mais interessante e fácil de entender.

Outro ponto positivo é o suspense que é levado durante os cinco capítulos da série. A história principal é como conter a radiação de se espelhar por toda a região e que causasse um estrago ainda maior, mas o suspense que gira em torno da pergunta “como um reator RBMK explode?” é que faz o último capítulo ser emocionante e impossível de piscar. O que ficou muito breve foi a evacuação das pessoas, sempre relatado como algo de urgência sem aviso prévio, na série se resume e 3 minutos na tela.

Concluindo, Chernobyl é uma série triste, porém muito boa com cinco episódios que relatam o que realmente aconteceu de uma forma didática e como a URSS foi negligente e mascarou dados.

#ficaadica se puder assim que terminar de assistir a série, assista novamente o primeiro capítulo. Fará muito mais sentido.

TEXTO ESCRITO PELO BRUNO JAYER

Siga nossa página